domingo, 6 de setembro de 2009

Ê! Ê! Ê!


Novas propostas, novos desafios, é tão bom se encontrar!

Ai! Ai! Vamos que vamos Jornalista!

Vou comemorar o profissional porque pessoal ta foda!


Saiu de casa sem saber o que lhe aguardava. A ansiedade socava-lhe o peito e não conseguia se concentrar em nada. Escrever era difícil, falar (risos) inevitável. Parecia uma maritaca de asas cortadas.Mal sabia que as asas estavam prestes a brotar novamente.Não espera que o vôo seja eterno, mas infinito. Não quer promessas, nem certeza, apenas viver cada momento como se fosse único.Começou a acreditar que as coisas acontecem quando têm de acontecer. Apesar de todos os receios, ela acredita em si e arrisca.Agora, mais do que nunca, está diposta a doar-se e deixar-se surpreender.



Um comentário:

Giovana Damaceno disse...

Falei algo mais ou menos parecido para a Amanda hoje: as coisas acontecem quando têm que acontecer.
bjus e saudades!