terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Amadureci, pessoal e profissionalmente

Belém - Pará
Salvador - Bahia

Duas capitais distintas eu tive a oportunidade de conhecer. Um crescimento envolvendo superação, maturidade, responsabilidade e meta profissional. Cultura e mais cultura.
.
.
Salvador, terra de gente hospitaleira de verdade. Me apaixonei! Durante os dias que fiquei por lá para participar do Coneb – Congresso Nacional de Entidades de Bases e da Bienal da União Nacional dos Estudantes pude me banhar e conhecer um pouquinho da vida dos nordestinos.
.
Lá é realmente o que se fala na televisão, praias belíssimas, arquitetura histórica e contemporânea que se fundem num cenário paradisíaco. Mas, a mídia não faz questão de focar no choque entre a alta sociedade e a miséria que é muito evidente. Isso me impressionou. Como no hit dos Paralamas do Sucesso "De um lado esse carnaval, de outro a fome total...”
.
A pobreza por todas as partes comove... Mas, não é a falta de grana ou escolaridade que faz dessa gente menos feliz, muito pelo contrário, são tão bondosos e sorridentes que fazem parecer inexistente os problemas .
.
Aprendi muito!
.
Eu precisaria de outro texto pra falar dos baianos que são um caso a parte, graças a Deus só entraram pessoas de bom coração na minha vida, pra fazer dessa experiência verdadeiramente inesquecível. Além dos amigos, ganhei uma família, da qual eu tenho muito orgulho de citar em meu Blog.
.
Saudades das minhas tias, tios e primos soteropolitanos!
.
E o tempo no ônibus? As horas demoraram a passar na primeira etapa da viagem, Rio/Salvador, mas, nada que boas piadas, partidas de baralho, discussões políticas, canções e dvd's não distraíssem nossas cabeças e tirasse a ansiedade de chegar no paraíso! As demais viagens foram mais sossegadas.
.
.
Virei uma contorcionista, digamos, perfeita! Penso até em produzir um manual estilo Kama Sutra com dicas de posições para sobreviver horas na poltrona de um ônibus, mas não se empolgue, essas posições não te leva ao prazer, pelo contrário os gemidos são das fortes dores musculares!
.
.
Bom, a passagem por Belém também colaborou para o meu conhecimento. Confesso que a principio eu fiquei meio assustada com a galera exótica que eu vi. Fórum Social Mundial, MUNDIAL mesmo! Tinha gente de tudo que era tipo espalhada pelos campi da UFPA. Mas, esse meu novo choque cultural me fez aprender muito mais sobre os movimentos, desejos e costumes mundiais.
.
Me decepcionei. Meu sonho no norte era conhecer, conversar com os índios, índios de verdade. Eu só pensava nisso. Quando tive a oportunidade, percebi que eles eram muito sérios e não queriam muito papo não. Pelo menos, fisicamente eles eram do jeito que eu imaginava, porém, nada de amizades. Não contente, procurei até encontrar essa moça da imagem que aceitou ser fotografada comigo.
.
Lá, eu tive a oportunidade de conhecer o presidente do Brasil de perto. Foi emocionante! Passei até a pensar mais em política e a querer me envolver nesses assuntos também. Fiquei entusiasmada com juventude que luta por um mundo melhor, que se preocupa e não se acomoda iante dos problemas sociais.
.
E, como também não poderia deixar de ser, fiz amizade com pessoas muito legais por lá também. O Márcio, dono de uma super pizzaria “Chillis”, o Nelson, motorista oficial do Governo do Estado, o Leo do “Louro Lanches”... Enfim, muito bom também!
.
A sobrevivência nesses 21 dias foi tão "tranqüila" que eu passaria mais 21 AMARRADONA! A amizade que se estabeleceu entre a galera sul-fluminense fez de nós uma família muito unida. Eu, por exemplo, por cuidar das finanças de três futuros jornalistas me tornei nesse período a mãe deles!
.

Mas, nada se comparou a sensação de chegar aqui no Rio e abraçar o homem da minha vida, de na manhã seguinte chegar em casa e ser recebida pelas latidas eufóricas dos meus cães, abraçar e beijar muito minha mãe que me esperava ansiosa, rever meus familiares e amigos e além de tudo, usufruir do MEU banheiro!
.

Impossível descrever o misto de sensações que eu tive nesse período, mas se fosse pra citar uma expressão eu diria: Foi TUDO!
.

3 comentários:

Maíra disse...

Isso que é experiência heim meu bem!
Parabéns por ter deixado que estas novas culturas mexessem com seu espírito!
Essa é a vida... crescer e amadurecer a alma com novas experiências!

Ameii! Beijoo lindona!

Giovana Damaceno disse...

Foi só a primeira de várias. E a cada uma, você vai sentir a diferença. Você vai mudando aos poucos, com a experiência ganha. E o mais gostoso é ver mesmo isso acontecer, assistir seu próprio crescimento, prestar a atenção no seu amadurecimento. É simplesmente fantástico.

Giovana Damaceno disse...

Ah! Me esqueci. Quanto ao banheiro, nada como sentar relaxadamente...